segunda-feira, 15 de agosto de 2016

GRANDES MULHERES - ALEXANDRA ESCUDEIRO

Eternamente gratos!

Alexandra Escudeiro (3 Junho 1949, 15 Agosto 2013)

A bióloga Alexandra Escudeiro, funcionária do Museu Nacional de História Natural e da Ciência, foi
sócia fundadora da LAJB e presidente da Direcção da mesma.

Foto: Escola Damião de Góis, onde abraçou o projecto de construção de um jardim, que transfigurou e uniu a comunidade escolar, tendo para memória futura o seu nome a ele ligado.


terça-feira, 2 de agosto de 2016

Jardins do Palácio da Anunciada em PERIGO!
























Começaram as obras de demolição do Palácio da Anunciada, na Rua das Portas de Santo Antão. Os jardins em terraço, onde existem árvores notáveis como um Dragoeiro e Pimenteiras (nas fotos), estão em risco de serem danificadas ou até mesmo destruídas. A febre constructiva e de "turistificação" agressiva da nossa cidade continua a produzir vítimas na área do Património Natural e Cultural.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Hoje: Dia do Fundador do Jardim Botânico

Hoje, 27 de Julho, celebram-se os 179 anos do nascimento de Francisco Manuel de Melo Breyner, Conde de Ficalho, altíssimo vulto da vida e cultura portuguesa da segunda metade do século XIX e pai fundador do Jardim Botânico da Escola Politécnica.

CONDE DE FICALHO - Botânico português, Francisco Manuel de Melo Breyner nasceu a 27 de Julho de 1837, em Serpa, e faleceu a 19 de Abril de 1903, em Lisboa. Além dos diversos cargos que exerceu como Par do Reino e Mordomo da Casa Real, distinguiu-se como escritor e professor catedrático da Escola Politécnica de Lisboa, onde estimulou o estabelecimento de museus anexos. Apaixonado pela Botânica, foi director do Instituto Agrícola e fomentou o desenvolvimento e apetrecho do Jardim Botânico de Lisboa.  Como homem de letras, notabilizou-se como escritor, foi amigo de Eça de Queirós, Ramalho Ortigão e Oliveira Martins e pertenceu ao famoso grupo dos Vencidos da Vida.  As suas obras versaram não só sobre a botânica como também temas ligados à História de Portugal, como é o caso das Viagens de Pêro da Covilhã, publicadas em 1898, onde Ficalho relata a viagem do emissário de D. João II. Da obra ligada à sua especialidade maior, a botânica (num contexto histórico), destacam-se: a Flora dos Lusíadas, de 1880; Memória da Malagueta de 1883, que deveria ser o primeiro de muitos títulos da colecção Plantas Úteis da África Portuguesa, que infelizmente não continuaram; Garcia de Orta e o seu Tempo de 1886, que serviu de preparação aos dois volumes de Colóquios dos Simples e Drogas da Índia, editados em 1891 e 1895.  Deixou uma única obra de ficção, Uma eleição perdida (1888), conjunto de uma novela e cinco contos integrável na tendência realista do conto regional.

Bibliografia do Conde de Ficalho: Flora dos Lusíadas, 1880; Memória da Malagueta, 1883; Plantas úteis da África portuguesa, 1884; Garcia da Orta e o seu tempo, biografia, 1886; Uma eleição perdida, novela e contos, 1888; Colóquios dos Simples e Drogas da Índia, 2 vol., 1891 e 1895; As viagens de Pêro da Covilhã, 1898; As rosáceas de Portugal, 1899  

No dia do nascimento do Conde de Ficalho, a Liga dos Amigos do Jardim Botânico  de Lisboa prestam homenagem ao fundador.


quarta-feira, 20 de julho de 2016

LAJB: OBRIGADO Senhor Carlos Fazendeiro!
























O Senhor Carlos Fazendeiro, que trabalhou no nosso Jardim Botânico durante mais de 8 anos, reformou-se no passado dia 13 de Maio de 2016. Foi um funcionário dedicado que ajudou o Jardim de muitas e variadas formas. Desempenhou por diversas vezes funções de apoio na jardinagem e manutenção das colecções vivas do Jardim. O seu carácter versátil e generoso vai fazer, com certeza, muita falta a todos nós. A Liga dos Amigos do Jardim Botânico não podia pois deixar de lembrar todo este trabalho: Obrigado por tudo Senhor Carlos Fazendeiro!
 
Fotos: montagem da exposição WATCH DAY da World Monuments Fund em Outubro de 2012 que resultou num trabalho de grande qualidade graças ao rigor e cuidado de execução do projecto expositivo por parte do Senhor Carlos Fazendeiro.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Voluntariado dos Amigos do Botânico no dia 17 de Julho de 2016




 
Agradecemos a todos os generosos voluntários as horas de trabalho de manutenção que ofereceram ao Jardim Botânico no passado domingo de manhã. Desta vez estivemos a fazer a varredura no Arboreto, nos caminhos junto dos canteiros 3B, 13B, 14B e 15B. Estavam com muita caruma dos pinheiros da espécie Pinus canariensis - o que constituía um perigo para os visitantes do jardim nomeadamente na zona das escadas por tornar o piso muito escorregadio. Eis as imagens dos caminhos e escadas já limpos!

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Próximo domingo, dia 17 de Julho de 2016: Voluntariado dos Amigos do Botânico!

Cara(o) associada(o),
Vamos realizar mais uma acção de voluntariado no Jardim Botânico de Lisboa, no próximo domingo , dia 17 de julho, às 10h00m.
O ponto de encontro será junto das bilheteiras do Jardim, na Rua da Escola Politécnica. Os interessados devem fazer a sua inscrição prévia para o email: amigosdobotanico@gmail.com
Obrigada.
Saudações Botânicas
A Direcção da LAJB

PS: Os participantes são aconselhados a trazer roupa e calçado confortáveis, chapéu/boné e luvas de jardinagem. Quem desejar poderá trazer a sua própria tesoura de poda. Será disponibilizada água e fruta para todos os voluntários.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

"As Coberturas-Jardim do Edifício Gulbenkian" - uma visita dos Amigos do Jardim Botânico!


















Fotografias da visita de domingo dia 26 de Junho de 2016 da autoria da nossa associada Cristina Girão. Saudações Botânicas para todos!

Amigos do Botanico visitam as "Coberturas - Jardim" do Edifício Gulbenkian em Lisboa































O nosso guia Carlos Carrilho [e associado da LAJB] levou-nos a descobrir esta faceta maravilhosa do "Monumento Gulbenkian" - verdadeiro monumento mundial de paisagem erguida pelo Homem. Tivemos a oportunidade de conhecer a grande cobertura-jardim da entrada que cobre o parque de estacionamento que surpreende por ter um bosque e podemos ver uma maquete e desenhos originais assinados pelo arquitecto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles presentes numa mostra dedicada ao 60 anos da Gulbenkian. E ainda subimos as coberturas do grande auditorio e do edifício sede. Muito obrigado Carlos Carrilho pela exelente visita guiada!