sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Cortiça na SERPENTINE GALLERY em Londres


O novo pavilhão da serpentine Gallery em Londres onde se faz grande uso da cortiça. Porque não usamos mais cortiça nos nossos espaços verdes? 
Para mais detalhes consultar: http://www.serpentinegallery.org/
Fotos: revista Wallpaper

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

World Monuments 2012 WATCH DAY


World Monuments Fund Launches "World Monuments Watch Day," Celebrating Heritage Sites Across The Globe

Events highlight importance of cultural heritage sites to local communities
World Monuments Fund (WMF) announces the launch of “World Monuments Watch Day,” comprising a series of celebratory and educational events to be held at cultural heritage sites around the world. A new component of WMF’s biennial World Monuments Watch program, Watch Day is intended to encourage local engagement with these treasured places, while also raising global awareness of their vital importance both to the communities in which they are located and to our shared human history. All of the places celebrating Watch Day are on the 2012 World Monuments Watch. 
(New York, 29 August 2012)
Para mais informações: www.wmf.org


Cidadãos de Banguecoque em defesa das grandes árvores: «BIG TREES»

A mensagem destes cidadãos de Banguecoque é muito simples: «You are what you breathe». Há cerca de 2 anos um grupo formado por professores universitários e jovens licenciados juntaram forças em resposta à onda de destruição de árvores e jardins privados promovida por empresas do ramo imobiliário. O grupo chama atenção para o património arbóreo urbano, organizando, por exemplo, visitas guiadas por toda a cidade de Banguecoque para ver árvores e jardins  ameaçados de desaparecimento. O grupo tem actualmente já mais de 16000 membros mas continua a crescer o apoio. O último projecto do grupo: salvar entre 100 a 200 árvores em Sukhumvit 35, um dos últimos oásis de vegetação no centro de Banguecoque. 


segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Where the Grass is Greener: Jardim Botânico da Universidade de Lisboa

«For those who want to know more about the Poncirus trifoliat, or just wish to take a nap on the city's most exotic lawn.»

in Guia Le Cool, 2008, pág. 227

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

O Nosso Bairro: Reclamo ilegal do Hotel Vintage continua no local mais de 2 anos depois

Foi no dia 23 de Agosto de 2010 que a LAJB enviou o primeiro pedido de esclarecimento ao IGESPAR e à CML sobre a legalidade deste reclamo instalado na cobertura de um novo hotel de 5 estrelas na Rua do Salitre, em plena zona de protecção do Jardim Botânico. Entretanto já é do conhecimento público que o reclamo é ilegal e que tem de ser desmontado. Mas passados mais de 2 anos tudo continua na mesma. Porquê?

terça-feira, 21 de agosto de 2012

MONUMENTO: TAXODIUM MUCRONATUM



Uma das árvores mais magníficas do nosso Jardim Botânico: o chamado Cipreste do México, Taxodium mucronatum. Um dos monumentos vivos a ver no nosso Arboreto!

Mais um atentado no Parque Florestal de Monsanto


Este magnífico exemplar, certamente da época de constituição do Parque Florestal de Monsanto (1934), ou mesmo anterior a ela, será provavelmente um dos muitos sobreiros que serão abatidos, não obstante pertencerem a uma espécie autóctone protegida pelos Artigos 43 a 51 da Secção I, do Capítulo II, do Decreto-Lei nº. 254/2009, se vier a concretizar-se mais um atentado perpetrado pela Câmara Municipal de Lisboa sobre o Monte Santo.
De facto, a Assembleia Municipal de Lisboa, no passado dia 31 de Julho de 2012, votou favoravelmente a proposta da Câmara Municipal de Lisboa, n.º 406/2012 permitindo a um privado a construção de mais um campo de Rugby dentro dos limites do Parque Florestal de Monsanto,que vem acrescer aos quatro já aí existentes.
O terreno para a construção, situado na Avenida dos Bombeiros, freguesia da Ajuda, com uma área de 18.378,20 m2, apesar de estar integrado no Parque Florestal de Monsanto, foi desafectado do regime florestal total pelo Governo, através do artigo 4º do Decreto-Lei nº 278/95 de 25 de Novembro, a pedido da Câmara Municipal de Lisboa, ficando destinado à construção de um estabelecimento de ensino que nunca foi construído. Seria agora uma boa altura para corrigir o erro então cometido, solicitando, a CML, a sua reafectação ao PFM, uma vez que cessaram os pressupostos que levaram à sua desafectação.
Assim não o entendeu a CML, que pretende agora ceder, em regime de direito de superfície, esta parcela de terreno à Federação Portuguesa de Rugby que por sua vez irá realizar uma parceria com a Associação XV – Associação dos Amigos do Rugby de Belém.
O Parque Florestal de Monsanto foi criado em 1934, pelo Decreto-Lei nº 24625 de 1 de Novembro, ocupando uma área de 1.000 hectares de mata com grande variedade vegetal, com os usos regulados pelo PDM de Lisboa e pelo Plano de Ordenamento e Revitalização de Monsanto.
Entretanto, uma vasta área do Parque Florestal de Monsanto, tem vindo a ser alienada e construída, muitas vezes sob o pretexto de utilidade pública, através de meros despachos, ou mesmo suspensão do próprio Plano Director Municipal, acções estas que têm contribuído para que o parque entretanto tenha perdido cerca de 20% da sua área inicial.
A área em questão, classificada segundo o PDM em vigor “Área Verde de Protecção ” a qual nos termos do artº. 80 do seu Regulamento “são áreas sensíveis sob os pontos de vista bio-físico ou de enquadramento paisagístico e ambiental de áreas edificadas ou de infra-estruturas” e por isso são áreas “non aedificandi”.
Também a riqueza da flora que tal espaço alberga, não só sobreiros como também cedros, pinheiros, etc., exige um processo de salvaguarda por parte dos Serviços da Autoridade Florestal Nacional.
A reafectação deste terreno ao PFM significaria, pela primeira vez nos últimos 30 anos, um processo de inversão da constante diminuição da área do Parque Florestal de Monsanto, um recurso cuja importância não se restringe aos habitantes de Lisboa.
Mas, conhecedores da política da Câmara Municipal de Lisboa em relação aos terrenos do Parque Florestal de Monsanto ( banco de terrenos baratos disponíveis para negócios ), temos muito poucas esperanças que tal processo de inversão possa vir a concretizar-se.
A Câmara Municipal de Lisboa é, presentemente, o maior inimigo da integridade do Parque Florestal de Monsanto, embora hipocritamente afirme o contrário: “Novas construções em Monsanto, jamais; Isso é obra do passado; Tolerância zero para novas impermeabilizações em Monsanto”. Haverá ainda quem acredite neste discurso?
Outras agressões se seguirão.
Conhecedores da posição da Câmara Municipal de Lisboa em relação ao Parque Florestal de Monsanto, gostaríamos agora de saber qual a posição da população de Lisboa quanto ao futuro do PULMÃO VERDE DA SUA CIDADE.
João Pinto Soares

domingo, 19 de agosto de 2012

RIO PAIVA: o mais limpo da Europa

Existe uma associação para a defesa e preservação do vale do Rio Paiva, considerado o mais limpo da Europa. Sem dúvida um dos mais belos e bem conservados de Portugal. Junte-se a esta causa na defesa do Vale do Paiva! Vamos lutar para que a EDP não de lembre de destruir este ecosistema e paisagem notáveis com a construção de uma barragem!

SOS RIO PAIVA - Associação de Defesa do Vale do Paiva
CASTELO DE PAIVA, AROUCA, CINFÃES, CASTRO DAIRE, S. PEDRO DO SUL, VILA NOVA DE PAIVA, SERNANCELHE, SÁTÃO, MOIMENTA DA BEIRA

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

PARTICIPE NO PROJECTO: «LISBOA AMANHû

Se possível, peço que divulguem a nossa iniciativa pelos membros da vossa associação, para que eles conheçam o site e enviem as suas próprias propostas particulares. Podem também visitar a página do Facebook (www.facebook.com/LXAMANHA), onde podem acompanhar as novidades que pretendemos desenvolver. Com os melhores cumprimentos,

Luis N. Filipe

LISBOA AMANHÃ

A LAJB já contribuiu para este louvável projecto com duas propostas levadas ao Orçamento Participativo da CML: «Um Jardim no Largo Hintze Ribeiro», «Arborização da Rua Borges Carneiro» e «Arborização da Rua Nova de S. Mamede». Apresentem também as vossas propostas para a Lisboa de Amanhã através da plataforma www.lxamanha.pt


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

MONUMENTO: FICUS BENJAMINA L.

A bela copa da Ficus benjamina L. no Arboreto, junto ao viveiro e vizinha da majestosa Chorisia. Esta árvore é originária da Ásia (Vietname, Timor, Indonésia, Filipinas). Família: Moraceae.

domingo, 5 de agosto de 2012

O Jardim Botânico de Lisboa no WATCH 2012

Faz hoje 10 meses que o Jardim Botânico de Lisboa entrou para a lista bienal 2012 WORLD MONUMENTS WATCH, ou seja, um "Observatório Mundial de Monumentos" em perigo. Este projecto é uma iniciativa da organização internacional WORLD MONUMENTS WATCH com sede em Nova Iorque: www.wmw.org