segunda-feira, 30 de maio de 2016

Amigos do Botânico, Trinta Anos a Criar Raízes: Lisboa 30 de Maio de 1986 / 30 de Maio de 2016

Cara/os associadas/os  

Hoje é o dia de aniversário da Liga dos Amigos do Jardim Botânico de Lisboa, que faz 30 anos, tendo sido criada em 30 de Maio de 1986.  

É um dia de alegria, mas, sobretudo, de profunda gratidão para todos os associados, adoptantes e também amigos que têm contribuído com a sua generosidade, trabalho e empenho na Defesa da Missão do Jardim Botânico de Lisboa.  Também o nosso agradecimento a todos aqueles que nos antecederam na Direcção da LAJB, em especial aos fundadores que tiveram a visão de criar a primeira associação de defesa de um Jardim Botânico em Portugal.  

Ao longo dos anos, tem sido enorme o contributo da LAJB para a Defesa, Manutenção e Salvaguarda do Jardim Botânico.  Seria exaustivo nomearmos aqui todas esses contributos que foram dados, por vezes em situações muito adversas, mas nunca desistimos de defender este maravilhoso património cultural que hoje, e, graças em grande parte, à acção da LAJB, é Monumento Nacional.   

Neste longo caminho, a LAJB amadureceu, envolvendo-se em várias acções de cidadania com o objectivo de ligar o Jardim Botânico à comunidade. Assim, foi sendo uma interveniente, interlocutora e parceira com outras instituições públicas e privadas, a nível local, nacional e internacional - desde a CML, a AML, Juntas de Freguesia, Associações ligadas à defesa do Património edificado e natural, Escolas, Embaixadas e a World Monuments Fund (WMF) que colocou o Jardim Botânico na lista de 2012, como um dos monumentos em perigo e a preservar a nível mundial.  

Estamos certos que a salvaguarda do Jardim Botânico continuará a ser o propósito principal das futuras direcções da LAJB e dos seus associados. 

Saudações Botânicas  
A Direcção da LAJB  
Lisboa, 30 de Maio de 2016

Visita guiada da LAJB ao Jardim: 29 Maio 2016






























O nosso muito obrigado a todos os associados da LAJB que participaram nesta visita guiada, a primeira no âmbito dos 30 anos dos "Amigos do Botânico". E um grande bem haja ao nosso guia Ivo Meco! 

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Visita Guiada ao Jardim Botânico de Lisboa















Estimada/o associada/o e amigas/os da Liga dos Amigos do Jardim Botânico de Lisboa

A Direcção da Liga dos Amigos do Jardim Botânico tem a honra de informar que irá realizar uma visita guiada ao Jardim Botânico de Lisboa, para comemorar o aniversário da sua criação, que perfaz 30 anos no próximo dia 30 de Maio.

A visita será guiada por Ivo Meco, "Prémio Brotero" do Curso de Guias do Jardim Botânico de Lisboa e será efectuada no domingo, 29 de Maio, pelas 17 horas.

VISITA GUIADA AO JARDIM BOTÂNICO DE LISBOA
Data - 29 de Maio - 17h00m ( Domingo )
Tema da Visita - " Raízes de 30 anos".
Guia da Visita - Ivo Meco
Inscrições - amigosdobotanico@gmail.com
Número de participantes - 30 pessoas
Local do encontro - Junto à Bilheteira da entrada principal do Jardim Botânico.

Saudações botânicas

A Direcção da LAJB

Foto: Ficus macrophylla na Classe do Jardim Botânico de Lisboa

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Parabéns Gonçalo Ribeiro Telles!

                                
"Paisagem é o país a agir sobre nós"

Gonçalo Ribeiro Telles nasceu a 25 de Maio de 1922

Prémio Sir Geoffrey Jellicoe 2013

São da autoria de Ribeiro Telles, entre outros projetos, o Corredor Verde de Monsanto e a integração da zona ribeirinha oriental e ocidental, na Estrutura Verde Principal de Lisboa. Gonçalo Ribeiro Telles também é autor dos jardins da sede da Fundação Calouste Gulbenkian, que assinou com António Viana Barreto (Prémio Valmor de 1975), e dos projetos do Vale de Alcântara e da Radial de Benfica, do Vale de Chelas, e do Parque Periférico, entre outros.

Livros essenciais: "A Árvore em Portugal" - Francisco Caldeira Cabral, Gonçalo Ribeiro Telles; "Portugal, paisagens e espaços naturais" - Gonçalo - RibeiroTelles, Frenando Pessoa, Afonso Alves; "Um novo conceito de cidade : a paisagem global" - Gonçalo Ribeiro Telles.


domingo, 22 de maio de 2016

Em floração: Schotia brachypetala

Planta com mais de dez anos no Jardim Botânico de Lisboa floresce pela primeira vez

Com o nome científico Schotia brachypetala, esta planta da família das leguminosas ocorre naturalmente nas áreas tropicais e subtropicais mais especificamente na África Austral, em países como Zimbabué, Moçambique, Botswana e Suazilândia.

Em Lisboa, o Jardim Botânico acolhe dois exemplares que vieram da África do Sul e que foram plantados há mais de dez anos. Ireneia Melo, investigadora principal aposentada do Jardim Botânico de Lisboa, e curadora da coleção de fungos do Herbário LISU, conta que esta planta chegou «por sementes enviadas por um Jardim Botânico da África do Sul». A investigadora explica que «é uma planta africana que pertence ao grande grupo das leguminosas onde pertencem os feijões e as ervilhas».Este ano pela primeira vez, surpreendentemente os investigadores repararam que a Schotia brachypetala floresceu. «O engraçado é que esteve durante muito tempo sem se desenvolver e este ano repentinamente viu a luz. As plantas têm coisas destas. Não é uma planta deste clima e deve ter gostado das condições deste ano, mas entretanto temos aqui uma gémea que não gostou e está pobrezinha».

Quando cresce esta árvore pode atingir entre os 5 e 16 metros de altura. Dada a folhagem decorativa e por ser uma árvore de sombra é muito utilizada nas zonas urbanas em jardins e parques. As flores são de um vermelho forte e tem umas «pétalas transformadas», diz Ireneia Melo, que acrescenta que «é uma planta dura que parece cera».

A Schotia brachypetala é rica em néctar que é muito procurada por pássaros, insetos como abelhas, mas também macacos. Curiosamente, esta planta possui uma série de utilidades alimentares, dado que as suas sementes são consumidas tostadas, mas também industriais para a produção de tintas.

Já na área medicinal são várias as propriedades benéficas retiradas da casca, folhas e raízes. Da casca já se isolou o polifenol tanino, para além disso, já se demonstrou que os extratos apresentam atividade de inibidores de monoamina oxidase que bloqueiam a ação da enzima monoamina oxidase e que são utilizados no tratamento de doenças mentais. Na medicina tradicional, as folhas e as raízes também são usadas para o tratamento da diarreia, para purificar o sangue, entre outras condições.

A Schotia brachypetala no Jardim Botânico de Lisboa floresceu na semana que antecede o 22 de maio, Dia Internacional da Biodiversidade, proclamado pela Organização das Nações Unidas, cujo tema em 2016 é “Integração da Biodiversidade para o apoio às populações e aos meios de subsistência”.

Uma forma que a Schotia brachypetala encontrou para presentear todos os visitantes do MUHNAC, o qual preparou um programa especial com diversas atividades para comemorar o Dia Internacional da Biodiversidade.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Hoje, 18 de Maio - Dia Internacional do Fascínio das Plantas


O Dia Internacional do Fascínio das Plantas é uma iniciativa lançada pela European Plant Science Organization e promovida em Portugal pela Sociedade Portuguesa de Fisiologia Vegetal. Tem como objectivo despertar o maior número de pessoas em todo o mundo, para o verdadeiro fascínio das Plantas, sensibilizando para a importância do seu estudo para melhorar a agricultura e a produção sustentável de alimentos, a horticultura, a silvicultura e a produção de bens não alimentares (papel, madeira, químicos, fármacos e energia), não esquecendo a importância das plantas para a conservação do meio ambiente.

Foto: Justicia brandegeeana em floração na Classe do Jardim Botânico de Lisboa

segunda-feira, 16 de maio de 2016

AS ÁRVORES DE LISBOA


Miguel Sepúlveda Velloso
Plataforma em defesa das árvores  
‘Um Ano a Defender Árvores’
José Sá Fernandes
Vereador responsável pelos espaços verdes da CML
‘A Gestão do Arvoredo em Lisboa’
António Bagão Felix
Economista, professor catedrático convidado na Universidade Lusíada, 
presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz, entre muitos cargos. 
É botânico amador e autor do livro “Trinta árvores em discurso directo”
 ‘Árvores de Lisboa Estética e Ética’
Susana Neves
Escritora, fotógrafa e investigadora de etnobotânica, 
autora do livro “Histórias que Fugiram das Árvores - Um Arboretum Português”
‘A Subtil Sabedoria das Árvores, 
passagem do paradigma da árvore objeto ao paradigma da árvore sujeito’
Carlos Souto Cruz
Engenheiro silvicultor, foi chefe da divisão de matas da CML e professor na Universidade de Évora. 
É o autor do Plano Florestal de Lisboa de 2010 e de 2015 
e foi um dos responsáveis pelo Plano de Ordenamento e Revitalização de Monsanto
‘A Biodiversidade na Cidade de Lisboa’
Ana Luísa Soares 
Sónia Talhé Azambuja
Arquitectas paisagistas, docentes do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, investigadoras do Centro de Ecologia Aplicada “Prof. Baeta Neves, 
membros da equipa de investigação do projecto 
“LX GARDENS - Jardins e Parques Históricos de Lisboa: estudo e inventário do património paisagístico.”
‘Árvores, Jardins e Parques Históricos de Lisboa’
Raquel Pires Lopes
Doutoranda em biologia, com especialização na área da comunicação 
e divulgação biológicas, pela Universidade de Aveiro. 
Projecto de investigação: “Árvores Monumentais de Portugal - da compreensão pública a uma literacia científica”
 ‘Árvores monumentais,
uma memória viva’
Rui Tujeira
Eng. florestal, especialista em fitossanidade, poda de árvores e arbustos ornamentais, 
inventariação do arvoredo urbano e avaliação de estabilidade biomecânica.
‘A arboricultura em espaço urbano, boas e más práticas’
Rui Pedro Lérias
Ecólogo
Pelo Meio das Árvores - Passeio guiado, Parque Eduardo VII, Av. da Liberdade, Praça da Alegria
 (Ponto de encontro, alto do Parque Eduardo VII, bandeira, 15:00h.)

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Voluntariado de 2016 no Jardim Botânico: Sábado, dia 14 de Maio às 14:30



Cara(o) associada(o),   

Vamos realizar mais uma acção de voluntariado de 2016 no Jardim Botânico de Lisboa, no próximo sábado , dia 14 de Maio às 14h30m .  
O ponto de encontro será junto das bilheteiras do Jardim, na Rua da Escola Politécnica.   

Os interessados devem fazer a sua inscrição prévia para o email: amigosdobotanico@gmail.com  

Obrigada.  

Saudações Botânicas  

A Direcção da LAJB   

NOTA: Os participantes são aconselhados a trazer roupa e calçado confortáveis, chapéu/boné e luvas de jardinagem. Quem desejar poderá trazer a sua própria tesoura de poda. A LAJB disponibilizará água e fruta para todos os voluntários.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Plantação de Olaia no Jardim da Procuradoria-Geral da República




Hoje, dia 2 de Maio de 2016, no Jardim da Procuradoria-Geral da República (Palácio Palmela), foi plantada a Árvore Nº 12 – Olaia (Cercis siliquastrum) pela Senhora Procuradora-Geral da República, Dra. Joana Marques Vidal, no âmbito do Projecto 100 Anos 100 Árvores.

Participaram na plantação muitos dos funcionários da PGR, e ainda João Pinto Soares da Associação Lisboa Verde e Manuela Correia da Liga dos Amigos do Jardim Botânico de Lisboa.

Para saber mais visitar https://100anos100arvores.wordpress.com/

domingo, 1 de maio de 2016